iG/Divulgação
"Passar fome no Brasil é uma grande mentira", declarou o presidente Jair Bolsonaro em 19 de julho de 2019

O Brasil voltou a viver um cenário instável quanto a alimentação dos seus cidadãos . Segundo levantamento da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), entre 2018 e 2020, a insegurança alimentar quase dobrou e passou a atingir 7,5 milhões de brasileiros. As informações são do jornalista Jamil Chade.

A pesquisa divulgada nesta segunda-feira (12) traça um comparativo com o período entre 2014 e 2016 onde 3,9 milhões de brasileiros viviam na insegurança alimentar - ou seja, aqueles que não possuem acesso regular e suficiente a uma alimentação satisfatória por falta de dinheiro.

A entidade relaciona a situação com a pandemia do novo coronavírus. Não só no Brasil , a insegurança alimentar avançou em toda América Latina. A taxa mundial aumentou quatro pontos percentuais, entre 2014 e 2019, e foi de 22% para 26%. Em 2020, esse salto foi ainda maior e atingiu 30% da população do planeta.

Segundo classificação das Nações Unidas (ONU), alguém que passe um dia inteiro sem ter acesso a uma alimentação de qualidade vive uma "insegurança alimentar grave".


Ponto importante: os dados não se referem a 'fome aguda' - quando há uma falta crônica de comida na rotina diária de alimetação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários