João Doria se aliou a Jair Bolsonaro nas eleições de 2018
Reprodução
João Doria se aliou a Jair Bolsonaro nas eleições de 2018

João Doria (PSDB), governador de São Paulo, relatou em entrevista à GloboNews, na noite da última terça-feira (07), que se arrepende do alinhamento ao então candidato à presidência da República em 2018,  Jair Bolsonaro (sem partido) através da campanha "BolsoDoria". As informações são do portal Uol.

"A campanha BolsoDoria foi anti-PT. Nunca desrespeitei o Fernando Haddad , um bom candidato, inclusive. Eu fui anti-Lula e anti-Fernando Haddad. Eu não anulo voto. Eu errei, assumo o erro, mas não erro duas vezes. E assumo o erro. Jair Bolsonaro prometeu um governo liberal, que combatia a corrupção, em defesa do meio ambiente. Ele fez tudo ao contrário, principalmente em um momento de pandemia. Em Bolsonaro, nunca mais", explicou Doria.

O governador ressaltou que eventual embate entre o ex-presidente Lula (PT) contra Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2022 seria o "horror x terror".

"Temos 50% do eleitorado que não é Bolsonaro nem Lula. Não será horror x terror", classificou o tucano. De acordo com Doria, sua disputa "não será desrespeitosa" com nenhum outro candidato caso o PSDB decida em lançá-lo como candidato da sigla para concorrer à presidência.


"Vivemos em um país comandado por um negacionista. Ele não só politizou, como vitimizou todos que defendem a vacina, O presidente Bolsonaro nos condenou, chamou de maricas, covardes. Ao invés de comprar vacinas, comprou cloroquina. Isso gerou um conflito com todos os governadores. Não tratou de maneira séria. Jair Bolsonaro é tido como a maior pária do mundo pelos principais veículos do mundo", analisou o governador de São Paulo.

De acordo com Doria, seu principal rival na eleição do próximo ano será justamente com o presidente Jair Bolsonaro, a quem classificou como "adversário do Brasil " e "daqueles que amam a vida e amam as pessoas".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários