Fazendeiro e secretário de segurança pública de Goiás
Reprodução
Fazendeiro e secretário de segurança pública de Goiás

RIO — Preso por suspeita de ajudar na fuga do serial killer Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista chegou a abordar o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, em 19 de junho. Lázaro foi  morto nesta segunda-feira (28) em troca de tiros com policiais.

O encontro entre os dois ocorreu em uma estrada rural quando o chefe da força-tarefa retornava de uma tentativa de captura. Na ocasião, Evangelista, de 73 anos, teria tentado despistar os policiais. Seis dias depois, o proprietário rural acabou preso por facilitação da fuga de Lázaro. Ele está detido em Águas Lindas (GO).

A abordagem do fazendeiro foi flagrada por uma equipe do jornal O Popular, de Goiás. De acordo com a publicação, um oficial da Polícia Militar pediu para os repórteres se afastarem. No entanto, foi possível observar Evangelista apontando para o lado oposto de suas terras.

Em entrevista ao Fantástico, Miranda explicou a conversa com o fazendeiro. Segundo o secretário, Evangelista indicou um suposto caminho por onde Lázaro teria fugido, em uma tentativa de plantar contrainformação.

— Quando eu voltava, um senhor nos para, me falando que o Lázaro tinha passado na casa dele, amassado a cerca dele. Pedi para o tenente verificar. No dia da prisão (de Evangelista), quando estávamos indo para lá, quando nós entramos no portão, eu disse: 'Opa, eu sei quem é esse sujeito' — afirmou Miranda, ao Fantástico.

Evangelista chamou a atenção dos investigadores na quarta-feira (23). Nesta data, ele se recusou a permitir a entrada dos policiais em sua propriedade. No dia seguinte, as equipes retornaram ao local e viram um "vulto" de Lázaro no local.

O caseiro Alain Reis de Santana, de 33 anos, confirmou para a polícia que de fato a fazenda estava sendo usada como refúgio para Lázaro por pelo menos cinco dias. Santana foi solto por ordem da Justiça goiana na última sexta-feira (25).

Você viu?

Procurada pelo GLOBO, a defesa de Evangelista não deu retorno até a publicação da reportagem.

Troca de tiros

Lázaro foi morto pela polícia nesta segunda-feira, depois de mais um confronto com agentes que integram a força-tarefa criada para procurá-lo. Após ser baleado, ele chegou a ser encaminhado para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos. A troca de tiros foi em Itamaracá, em Águas Lindas de Goiás, região onde o criminoso estava sendo procurado desde a noite de domingo.

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse que Lázaro tinha uma rede de pessoas que o acobertaram durante os 20 dias em que passou fugindo da polícia na área rural dos municípios de Cocalzinho e Águas Lindas de Goiás.

— Temos filmagens que vamos mostrar para vocês: ele estava armado. Ele foi para o mato, fizemos o cerco. Ele tentou fugir do cerco e confrontou a equipe do major Edson. Um trabalho coletivo e, graças a Deus, nenhum policial foi ferido. Ele, na hora da abordagem, descarregou a pistola em cima dos policiais. E não tivemos outra alternativa senão revidar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários