Cartaz de procurado de Lázaro Barbosa de Souza
Reprodução/Polícia Civil do DF
Cartaz de procurado de Lázaro Barbosa de Souza

O secretário de segurança pública de Goiás, Rodney Miranda, afirmou nesta segunda-feira (14) que Lazáro Barbosa Souza , de 33 anos, apontado como autor de uma chacina no Distrito Federal , é um "psicopata".

Miranda participa de uma operação que conta com cerca de 200 agentes para prender o criminoso, suspeito de matar uma família em uma chácara no Incra 9, em Ceilândia, na última quarta-feira (9).

"Posso reduzir a uma palavra: psicopata ", disse Miranda, ao ser questionado por jornalistas sobre o perfil do criminoso. "Estamos com oito vítimas confirmadas, cinco delas fatais e em situações que levam qualquer um a ficar preocupado. Todas as propriedades que ainda têm pessoas que precisam ficar lá nós colocamos viaturas próximas, estamos dando todo o amparo para a população até a retirada desse sujeito aqui da região. E não vamos sair daqui até desentocá-lo e apresentá-lo para a Justiça".

Equipes da polícias civil, militar e federal montaram uma força-tarefa para capturar Lázaro ainda nesta segunda-feira, o sexto dia de buscas pelo criminoso. De acordo com o secretário, havia informações de que o fugitivo poderia estar em municípios goianos ou até mesmo ter retornado ao Distrito Federal.

"Ele, além de ser um psicopata, é da região. É o que nós chamamos de 'mateiro', acostumado a se emburacar no mato. Ele deve ter outra motivação psicótica. Está muito focado em seguir na trajetória criminosa. Mas vamos chegar até ele", disse Miranda.

Lázaro Barbosa é suspeito de cometer um quádruplo latrocínio em Ceilândia, no DF, e um quinto em GO. No último sábado, em Cocalzinho de Goiás, ainda baleou mais três pessoas, dois dos quais em estado grave.

De acordo com as informações da Secretaria de Segurança Pública, o quinto homicídio em GO teria ocorrido antes da quarta-feira, quando o suspeito assassinou a família de Claudio Vidal em sua chácara.

A polícia acredita que ele está munido de um revólver calibre .32 e possivelmente de outras armas e munição roubada das residências que invadiu ao longo da última semana. Cerca de 17 fazendas da região estariam ocupadas por policiais.

Lázaro nasceu na cidade de Barra do Mendes, no interior da Bahia, segundo informações da polícia. Um laudo criminológico feito em 2013, quando o suspeito tinha 26 anos, obtido pelo G1, define o Lázaro como tendo características de " agressividade , ausência de mecanismos de controle, dependência emocional, impulsividade, instabilidade emocional, possibilidade de ruptura do equilíbrio, preocupações sexuais e sentimentos de angústia". Ele também teria um histórico de vício em crack e álcool.

Você viu?

No momento em que o laudo foi feito, Lázaro estava preso e havia sido condenado por porte de arma, roubo e estupro . Ele buscava progressão de pena para outro regime. Segundo o texto, ele disse ter cometido os crimes quando estava embriagado e que não se recordava deles.

Ainda segundo o laudo, caso o homem fosse reinserido "no contexto social e ambiental ao qual pertencia antes de sua reclusão, provavelmente retornará a delinquir.". Os três profissionais que assinam o documento recomendam, então, que o preso recebesse acompanhamento psicológico antes de receber qualquer benefício.

Os crimes de Lázaro

Quarta-Feira, dia 9 de junho: Lazáro invade a chácara de Cláudio Vidal e mata ele e seus filhos, em uma ação que dura cerca de 10 minutos. No momento da fuga, faz Cleonice Marques, de 43 anos, mulher de Cláudio, refém e a sequestra. Logo após a entrada do bandido na casa, ela teria feito uma ligação para seu irmão pedindo por socorro. Sua família chega momentos depois, mas encontra apenas os corpos de Cláudio e seus filhos.

Quinta-feira, dia 10 de junho: Na parte da manhã, Lazáro Barbosa teria invadido outra residência apenas três quilômetros de distância da chácara da família de Cláudio e Cleonice. Ele teria mantido a dona da casa, Sílvia Campos, de 40 anos, e o caseiro, Anderson, de 18, sob a mira de sua arma durante três horas e os obrigado a fumar maconha. Ele teria roubado cerca de R$ 200 e celulares antes de deixar a residência. Cleonice continua desaparecida.

Sexta-feira, dia 11 de junho: Lazáro é suspeito de roubar um carro e fazer mais um refém. Ele teria deixado Ceilândia e ido para Cocalzinho, em Goiás. Lá, incendeia o veículo. A polícia acredita que ele pode ter contado com a ajuda de um comparsa nesse momento. As buscas por Cleonice continuam.

Sábado, dia 12 de junho: O corpo de Cleonice é encontrado em um córrego próximo ao Sol Nascente. Enquanto isso, Lázaro teria invadido uma residência nos arredores de Lagoa Samuel, onde teria ingerido bebidas alcoólicas, feito o caseiro refém e destruído o seu carro. Horas depois, ele teria invadido outra chácara, atirado em três homens e roubado armas de fogo. À noite, teria incendiado uma casa em Cocalzinho. Alguns relatos afirmam que ele teria trocado tiros com a polícia, informação que não foi confirmada pelo secretário de Segurança Pública de Goiás. Os três homens baleados foram levados a um hospital. Dois encontram-se em estado grave.

Domingo, dia 13 de junho: Lazáro invade uma casa por volta das 15h. A residência estaria vazia naquele momento. O criminoso teria roubado um carro Corsa vermelho. Aproximadamente às 18h30, o veículo teria sido abandonado em uma rodovia, a 30 quilômetros da residência invadida mais cedo. Acredita-se que Lázaro tenha avistado um bloqueio policial e decidiu fugir para o mato. Dentro do carro, a polícia encontrou um carregador de munição. De acordo com a Polícia Militar de Goiás, o suspeito teria chegado a trocar tiros com a polícia antes de fugir para um matagal.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários