PSOL solicita apoio a líder indígena Maria Leusa Munduruku, ameaçada de morte no Pará
Reprodução
PSOL solicita apoio a líder indígena Maria Leusa Munduruku, ameaçada de morte no Pará

Membros do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) na Câmara dos Deputados solicitaram através de um ofício a Subprocuradoria-geral da República, uma proteção urgente à líder indígena Maria Leusa Munduruku . As informações são da jornalista Mônica Bergamo.

No documento, os parlamentares argumentam que "a aldeia Fazenda Tapajós não é um caso isolado, o que acontece em Jacareacanga com os munduruku é uma tragédia anunciada", já que "em 10 de maio de 2020, houve conflito armado entre garimpeiros e indígenas na comunidade Yanomami de Palimiu, no estado de Roraima".

Deputados de oposição também mencionaram o presidente da República e suas políticas públicas no requerimento.

"Em consonância com a política anti-indígena e racista do governo Jair Bolsonaro , a atuação do governo federal é diametralmente oposta aos valores e a missão institucional que a Constituição Federal e os tratados internacionais de direitos humanos propugnam."

A subprocuradora Eliana Peres Torelly de Carvalho recebeu a solicitação que pede 'providências urgentes' na proteção à aldeia indígena Fazenda Tapajós, localizada no sudoeste do Pará. O local sofreu um ataque - a tiros e com incêndio proposital - de garimpeiros na última quarta-feira (26).


O documento relembra que, "em março, a sede Associação de Mulheres Munduruku foi atacada por garimpeiros. Maria Leusa Munduruku, que teve sua casa queimada no ataque de hoje, assim como outras lideranças indígenas da região, vem sofrendo ameaças e o estado brasileiro não faz nada para conter a violência. Pelo contrário, a política de Bolsonaro e [do ministro do Meio Ambiente Ricardo] Salles estimula o avanço dos garimpos ilegais nas terras indígenas e é a principal responsável pelo acirramento dos conflitos."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários