Homens tentaram se passar por grávidas para receber o imunizante
Reprodução/Flickr
Homens tentaram se passar por grávidas para receber o imunizante

Em Divinópolis (MG), 17 homens se cadastraram no grupo prioritário de gestantes e puérperas para receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19 da farmacêutica Pfizer neste final de semana. O caso foi levado ao Ministério Público e a Polícia Federal foi acionada. 

Segundo a apuração do portal UOL , a situação foi descoberta após a Secretaria Municipal de Saúde identificar suspeitas de fura-filas e de pessoas que estavam entregando laudos com comorbidades "questionáveis" para conseguir se vacinar antecipadamente, principalmente os jovens .

De acordo com o prefeito Gleidson Azevedo (PSC), a irregularidade ocorreu porque o cadastro para mulheres grávidas não exigia a indicação do sexo na inscrição, mas a situação foi impedida a tempo no Centro de Saúde, que recebeu ainda cerca de 200 tentativas de fura-filas. "A gente só conseguiu ver a fraude na triagem final mesmo, na hora que eles chegaram aqui", disse ele.

A quantidade de jovens que foram cadastrados com comorbidades chamou a atenção e levou a uma investigação, segundo o procurador municipal Fernando Henrique Costa. "Percebemos que quanto mais diminuía a idade, aparecia um maior número de comorbidades. Então, começamos a observar isso junto de algumas denúncias de fraude em relação ao grupo de grávidas e encaminhamos para a Polícia Federal e Ministério Público", explicou.

De acordo com ele, mesmo após a irregularidade ser constatada, alguns homens que se cadastraram como gestantes exigiram ser vacinados. "O problema que a gente encontrou é que mesmo estando com cadastro de grávida, sendo homens, eles queriam vacinar, dizendo que o cadastro foi aceito. Mas é por isso que fazemos a triagem, para evitar qualquer problema", acrescentou.

Caso as fraudes forem comprovadas, as pessoas imunizadas e o médico que concedeu o laudo falsificado podem ser responsabilizados por falsidade ideológica e uso de documento falso. Ainda de acordo com Prefeitura, entre os 200 fura-filas detectados, cerca de 100 chegaram a receber pelo menos a primeira dose do imunizante, mas nenhum dos 17 homens que se passaram por gestantes conseguiram se vacinar.

O hospital da cidade também é investigado por um possível envolvimento ilegal de médicos nos casos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários