Pfizer ofereceu vacinas e cobrou resposta do Planalto em 10 emails
Reprodução: iG Minas Gerais
Pfizer ofereceu vacinas e cobrou resposta do Planalto em 10 emails

Emails sigilosos foram entregues para membros da  CPI da Covid na última quinta-feira (20) em que revelam a insistência da farmacêutica Pfizer em negociar vacinas contra o novo coronavírus com o Brasil - este ignorando a empresa norte-americana. Nos documentos, é possível identificar a presença de 10 emails cobrando uma resposta sobre a proposta de parceria. Todos foram ignorados. As informações são do jornal A Folha de S.Paulo.

"Desculpe, a ligação caiu e não consegui mais contato. Espero que esteja tudo bem com vc! Só queria confirmar se vcs receberam ontem uma comunicação enviada em nome do presidente da Pfizer, Carlos Murillo, com a proposta atualizada de um possível fornecimento de vacinas de Covid-19. Vc me avisa? (sic)", disse Cristiane Santos, da Pfizer , ao Planalto.

A primeira oferta foi realizada dia 14 de agosto, sendo de 30 e 70 milhões de doses do imunizante e a proposta tinha validade até dia 29 daquele mês. Entre metade de agosto e setembro, o presidente mundial da Pfizer encaminhou ao Brasil ao menos dez emails cobrando uma resposta formal dos governantes brasileiros.


"Minha equipe no Brasil se reuniu com representantes de seus Ministérios da Saúde e da Economia, bem como com a Embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Apresentamos uma proposta ao Ministério da Saúde do Brasil para fornecer nossa potencial vacina que poderia proteger milhões de brasileiros, mas até o momento não recebemos uma resposta", relatou o documento encaminhado a comissão de inquérito.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários