Homem que se passava por 'sugar daddy' foi preso por abuso em Goiânia
Reprodução
Homem que se passava por 'sugar daddy' foi preso por abuso em Goiânia

Um homem de 45 anos foi preso nesta segunda-feira (11) por acusações de crimes sexuais contra jovens no Distrito Federal. Ele se passava por "sugar daddy", expressão usada para definir homens ricos que se relacionam com mulheres mais novas mediante pagamento. Segundo investigações, ele seduzia as vítimas, as ameaçava e obrigava as mulheres a fazer vídeo chamada erótica com ele. 

O acusado foi preso em Goiânia (GO) — distante cerca de 202 km de Brasília — na casa onde mora com a mãe. Há sete ocorrências contra ele abertas por mulheres com idade média de 21 anos. Os crimes teriam ocorrido a partir de 5 de julho do ano passado, e o último teria sido cometido no final de março deste ano. 

O criminoso via o perfil das vítimas pelo site "Meu Patrocínio", rede social utilizada para "sugar babies" buscarem "sugar daddies" e vice-versa. Lá o homem abordava as jovens e as convidava para sair.

“O encontro era marcado em um motel, onde eram praticados atos sexuais consensuais com a vítima. Mas, em determinado momento, em ato libidinoso e sem o conhecimento ou vontade da mulher, o autor realizava filmagens da relação sexual”, disse a delegada-titular da Deam I, Ana Carolina Litran.

Dois dias após o ato sexual, o acusado iniciava as chantagens e ameaçava as jovens, dizendo que se não realizassem chamadas eróticas de vídeo ele divulgaria imagens das vítimas nas redes sociais.

“Algumas delas chegaram a ser vítimas de estupro virtual, mediante ameaça e sem vontade expressa”, disse a delegada do caso.

O homem também é acusado de fazer vítimas nas cidades da Candangolândia, Planaltina, São Sebastião, Taguatinga e Brasília, além da internet.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários