Momento em que Tatiane foi agredida dentro do elevador do prédio
Reprodução
Momento em que Tatiane foi agredida dentro do elevador do prédio

Luis Felipe Manvailer foi condenado nesta segunda-feira (10) por homicídio qualificado pela  morte de sua esposa, a advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos, em 2018. Feminicídio, meio cruel, motivo fútil e fraude processual foram agravantes na condenação. As informações são do jornal O Tempo .

Tatiane foi encontrada morta na madrugada do dia 22 de julho de 2018 após uma queda do quarto andar do prédio em que morava com o marido, em Guarapuava (PR). Na época, Manvailer disse que ela caiu do prédio, mas o exame de necropsia apontou que ela foi morta por asfixia mecânica antes da queda e que o corpo tinha f eridas e sinais de luta .

A acusação alega que Manvailer asfixiou Tatiane e a atirou da sacada após uma discussão, ela queria se separar dele. Vizinhos ouviram gritos e imagens das câmeras de segurança do edifício mostram a advogada sendo agredida pelo marido por mais de 20 minutos antes da queda. A defesa alega que Tatiane se matou após a discussão.

Os vídeos mostram que ele recolheu o corpo da mulher da calçada e o levou de volta ao apartamento, antes de tentar fugir. Também apagou marcas de sangue do elevador. Manvailer acabou preso no mesmo dia , após bater o carro na rodovia, em São Miguel do Iguaçu, próximo da fronteira do Brasil com o Paraguai, a cerca de 340 km de Guarapuava. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários