MP de Santa Catarina pede à Justiça conversão da prisão em flagrante em preventiva do jovem que invadiu escola infantil
Gilmar Bortese
MP de Santa Catarina pede à Justiça conversão da prisão em flagrante em preventiva do jovem que invadiu escola infantil

O Ministério Público de Santa Catarina pediu à Justiça, na madrugada desta quarta-feira, a conversão da prisão em flagrante em preventiva do jovem, de 18 anos, que  invadiu uma escola infantil e matou cinco pessoas e ainda feriu um bebê, de 1 ano e 8 meses, que segue internado no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó.

O Promotor de Justiça Douglas Dellazari também pediu a quebra do sigilo de dados dos computadores, videogame e pendrive apreendidos pela Polícia Civil, na terça-feira, com o acesso imediato ao conteúdo armazenado para dar continuidade nas investigações.

Você viu?

O autor do ataque foi autuado por cinco homicídios triplamente qualificados e uma tentativa de homicídio triplamente qualificado, segundo a polícia. O agressor agiu por motivo torpe com uso de meio cruel e utilizou recurso que impossibilitou a defesa das vítimas - contra crianças com menos de 2 anos de idade e professoras indefesas, que estavam em seu horário de trabalho.

"Os crimes causaram extremo abalo à ordem pública, consideradas a torpeza, covardia e crueldade com que foram praticados, cenas nunca vistas antes nesta Comarca, denotando uma gravidade em concreto inquestionável. A reprovabilidade das infrações penais e a periculosidade do autor são extremamente acentuadas, sob qualquer perspectiva, seja pelo modus operandi, seja pela multiplicidade de golpes, seja pela qualidade das vítimas", ressalta Dellazari em comunicado divulgado pelo MPSC.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários