Mainardi manda Kakay
Reprodução
Mainardi manda Kakay "tomar no c..." em programa de televisão

Não é comum que um programa de televisão hostilize um convidado em rede nacional, no entanto, foi o que ocorreu no ""Manhattan Connection", da última quarta-feira (28), onde Diogo Mainardi - participante - mandou o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay , "tomar no c...". Veja a cena a partir do minuto 50:


A fala foi censurada pela edição do programa, mas pela leitura labial é possível identificar o que foi dito pelo comentarista.

Durante o programa, Mainardi realizava 'caretas' e gesticulava enquanto Kakay argumentava e debatia sua ideias. Em determinado momento, Diogo disse que não estava a fim de ouvir as "baboseiras" do advogado. "Você pra mim representa o atraso do desenvolvimento do Brasil".

Antonio Carlos pediu a palavra e disse que faltava inteligência a Mainardi'. "Não conheço muito a sua vida, mas acho você um humorista. Mas o humorista que é mal-humorado, ele tem que ter uma inteligência rara, e você só ficou no mau humor. É muito difícil, entendeu?"

Conforme o debate se aproximava do seu fim, o clima foi esquentando entre as partes. Diogo acusou Kakay de ir ao programa a procura de clientes, ao passo que o advogado respondeu que estava ali porque havia sido convidado.

Você viu?

"Não por mim", rebateu o apresentador.

Em sua última fala, Kakay é questionado pelo âncora Lucas Mendes se absolve ou condena o programa, e responde: "Eu acho esse programa quase perfeito. Tem três pessoas extremamente preparadas, pessoas que vivem no mundo, e tem um mal-humorado para poder falar, gritar, xingar, isso tudo é alegria, faz parte. Humorista que tem mau humor é tradicional, mas que tem mau humor e não tem inteligência... Vocês são muito corajosos."

Neste momento, Diogo Mainardi evocou o nome de Olavo de Carvalho para sua réplica e declamou: "vai tomar no c..."


O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro se manifestou em nota.

Nunca o grande Manoel de Barros foi tão lembrado por mim como no “debate” ontem: “Só uso as palavras para compor meus silêncios.”
Não serei eu, em nenhuma circunstância, que irei censurar a fala de um “humorista” - como o Mainardi - que abusou do direito de ser indelicado e agressivo no programa. Ele merece meu mais profundo desprezo. No final , ele se mirou em um de seus ídolos, o tal Olavo de Carvalho, e me agrediu verbalmente. Durante todo o programa, ficava reclamando, mas sem conseguir se manifestar de maneira clara e com um raciocínio lógico. Talvez ele precise de tratamento para superar a queda e a desmoralização dos seus ídolos, como insinuou o Haddad quando foi ao programa, ou talvez seja mesmo só essa figura patética e decadente. O Brasil é um país triste hoje em dia por ter um presidente do nível do Bolsonaro. O tal Diogo finge que é um crítico do Bolsonaro, mas são pessoas do mesmo naipe. Ele, Olavo, Moro e Bolsonaro se merecem. Eu fico com o grande Mário Quintana:
“Eles passarão, eu passarinho”

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários