RJ: 4 festas clandestinas são interrompidas no primeiro dia de flexibilização
Reprodução
RJ: 4 festas clandestinas são interrompidas no primeiro dia de flexibilização

Muitos cariocas ignoraram as medidas restritivas contra a Covid-19 em vigor neste fim de semana. Quatro eventos irregulares foram interrompidos pela prefeitura entre a tarde de sábado e a madrugada deste domingo.

Os estabelecimentos, no Centro, Botafogo, Recreio dos Bandeirantes e Bento Ribeiro, foram multados e interditados pelas equipes de fiscalização. No periodo, quase duas mil autuações foram aplicadas, entre multas e interdições a estabelecimentos, infrações sanitárias, multas de trânsito, reboques e apreensões de mercadorias.

Em Botafogo, na tarde de sábado, agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) foram acionados para interromper um evento que acontecia em uma sauna na Rua Dezenove de Fevereiro. Havia mais de 70 pessoas aglomeradas no imóvel. O equipamento de som foi apreendido dando fim à festa e o responsável foi multado por violação de medida sanitária. O estabelecimento foi interditado após ser esvaziado pela fiscalização.

No início da noite, a Seop interrompeu um evento com cerca de 70 pessoas na Rua Buenos Aires, no Centro. As pessoas estavam em local fechado, aglomeradas e a maioria não usava máscara de proteção facial. O estabelecimento foi multado por infração de medida sanitária e o equipamento de som foi apreendido. Após ser totalmente esvaziado, também foi interditado.

Na madrugada de domingo, os agentes foram acionados para mais duas festas clandestinas. A primeira acontecia na Rua Boiacá, em Bento Ribeiro. No local, havia cerca de 120 pessoas, incluindo muitos adolescentes, todos aglomerados e sem uso de máscara. O equipamento de som também foi apreendido e o local, esvaziado. O organizador foi identificado e multado pela Vigilância Sanitária, tendo a casa de eventos interditada.

Você viu?

O segundo evento clandestino acontecia em um bar na Avenida das Américas, no Recreio. As equipes encontraram os acessos fechados, tampados com plásticos e as luzes apagadas, dando uma aparência de que não havia evento acontecendo no local. Após acessarem o espaço, encontraram cerca de 50 pessoas reunidas. O responsável foi multado e o estabelecimento interditado pela Vigilância Sanitária. 

Ainda no sábado, a Subsecretaria de Operações da Seop atendeu cinco chamados com denúncias de eventos clandestinos em Campo Grande, Zona Oeste do Rio. Um bar foi interditado na Estrada do Campinho por funcionamento irregular, mas não foram encontradas festas clandestinas ou aglomerações no bairro.

Quase duas mil autuações

Entre a tarde de sábado e a madrugada de domingo, com o decreto municipal nº 48.706 já em vigor, a prefeitura registrou 1.825 autuações. Dentre elas, estão multas e interdições a estabelecimentos, infrações sanitárias, multas de trânsito, reboques e apreensões de mercadorias. No período, foram aplicadas 60 multas a bares, restaurantes e ambulantes e 39 estabelecimentos foram fechados.

Na noite de sábado, primeiro dia de flexibilização das medidas restritivas na cidade do Rio, bares e restaurantes ficaram cheios mesmo depois das 21h, novo horário limite estabelecido pela prefeitura. Na Rua Dias Ferreira, no Leblon, além de as mesas estarem lotadas, havia muita gente em pé nas calçadas por volta das 21h30, apesar da presença de agentes da Seop.

A situação se repetiu por volta das 22h em Ipanema, na Rua Visconde de Pirajá. Nos dois pontos, poucas pessoas usavam máscaras. Já na Lapa, por volta das 22h30, já não havia mais restaurantes abertos.

Antes do dia 9, bares e restaurantes só podiam funcionar em esquema de entrega em domicílio (delivery), retirada no local (take away) ou drive thru. Pelo novo decreto, em vigor desde a última quinta-feira, foi estipulada uma hora de tolerância para o efetivo encerramento dos serviços nestes locais — ou seja, os clientes que entram até as 21h possam acabar de consumir. As novas regras valem até 19 de abril e podem ser renovadas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários