Fernando Simas Magalhães durante reunião na OEA
Reprodução/OEA
Fernando Simas Magalhães durante reunião na OEA

Dois dias após ter sido confirmado como substituto de Ernesto Araújo , o futuro ministro das Relações Exteriores, Carlos França, já escolheu quem será seu braço direito no Itamaraty. Trata-se de Fernando Simas Magalhães, atual representante permanente do Brasil junto à Organização dos Estados Americanos - OEA.

Segundo embaixadores ouvidos pelo Globo, a escolha de Simas para a secretaria-geral é um sinal importante. Ao optar por um diplomata experiente, França "enterra de vez a ruptura hierárquica" criticada na gestão de Araújo — que optou por colegas mais jovens para compor sua equipe.

Diplomata de carreira, experiente e bastante respeitado entre os colegas, Magalhães foi chefe do Departamento de Africa na gestão do ex-chanceler Celso Amorim (2007-2010), embaixador no Equador nos governos Lula-Dilma (2010-2015), subsecretário-geral de assuntos políticos, ainda no governo Dilma (2015-2016) e subsecretário-geral de assuntos políticos multilaterais, Europa e América do Norte, já no governo Temer (2016-2018). Também serviu como diplomata na delegação brasileira na ONU e nas embaixadas em Moscou, Washington e Madri.

O posto de secretário-geral é o mais importante na diplomacia, pois é privativo da carreira. É o chefe do Itamaraty , o comandante da burocracia de Estado. Já o cargo de ministro ou chanceler é político.

Magalhães tem uma família de diplomatas . Além do pai embaixador , já falecido, seu irmão, Carlos Alberto Simas Magalhães, chefia a embaixada do Brasil em Lisboa. O novo secretário-geral assumirá o cargo no lugar de Otávio Brandelli.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários