Paulo Lima, o Galo, líder dos Entregadores Antifascistas
Reprodução/Instagram
Paulo Lima, o Galo, líder dos Entregadores Antifascistas

Em transmissão ao vivo da Festa Literária Pirata das Editoras Independentes (Fliplei) neste domingo (28), Paulo Galo , líder do movimento Entregadores Antifascistas , disse que, se for preso, cria outro movimento dentro da cadeia. O motoqueiro foi preso neste final de semana, mas já está solto .

"A gente tem que deixar o medo de lado, e é difícil. É continuar avançando mesmo com medo", declarou. "Se um dia me jogarem na cadeia, eu crio os prisioneiros antifascistas. Eu f*** vocês mais. Se quiserem jogar eu na cadeia, é com vocês mesmo", completou.

Galo foi preso por desacato à autoridade. Em entrevista ao site Alma Preta, o entregador alega que foi insultado por policiais e respondeu às ofensas. Após um gesto obsceno feito aos policiais, ele foi perseguido, teve seu veículo acertado por tiros e, em seguida, foi detido.

"Dentro da delegacia, o delegado me perguntou: qual é o seu problema com a polícia? Eu falei: eu tenho problema com a estrutura, com quem essa farda serve", relembra Galo. "E a quem essa farda serve?", teria questionado o delegado. "Eu falei: essa farda não serve aos trabalhadores, serve aos ricos", continua Galo.

Em seguida, o delegado teria questionado se Galo não queria ser rico. "Eu falei: eu não. Eu quero mudar o mundo", lembra o ativista.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários