A mulher é investigada por exercício ilegal da profissão e por plagiar trabalhos de alunos em Salvador
Reprodução/TV Bahia
A mulher é investigada por exercício ilegal da profissão e por plagiar trabalhos de alunos em Salvador

Nesta quarta-feira (25), a falsa professora da Direito Cátia Regina Raulino foi presa na cidade de Florianópolis, em Santa Catarina . A suposta jurista é investigada por exercício ilegal da profissão e por plagiar trabalhos de alunos em Salvador.

Assim que foi presa, Raulino foi levada à sede da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) da cidade, onde está custodiada, e aguarda a transferência para a capital baiana. A mulher se dizia formada em Direito , com mestrado, doutorado e pós-doutorado, mas nunca apresentou documentos comprovando.

As investigações mostram que a suspeita havia fugido para Florianópolis, informa a Polícia Civil. O mandado de prisão foi expedido pela 9ª Delegacia (Boca do Rio), em Salvador, e ela foi localizada após um contato da polícia baiana com a catarinense.

"No cumprimento do mandado de busca e apreensão, descobrimos que ela havia fugido para outro estado. Nas investigações entramos em contato com a Superintendência de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública de Santa Catarina, onde ela foi localizada e o mandado de prisão, cumprido", disse o titular da 9ª Delegacia, delegado Antônio Carlos Magalhães Santos.  

Raulino foi indiciada pelos crimes de estelionato, falsificação de documento público e falsidade ideológica, e teve o inquérito encaminhado à Justiça em outubro de 2020. A investigação teve início em agosto do ano passado, após alunas de uma faculdade particular de Salvador denunciarem a falsa jurista. No momento em que foi chamada pela polícia para apresentar os documentos e comprovar ser formada em Direito , a mulher não forneceu os materiais. Além disso, as universidades onde ela diz ter feito os cursos negam que ela tenha concluído as graduações, segundo a polícia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários