Polícia e Vigilância Sanitária flagraram festa clandestina em SP
Divulgação
Polícia e Vigilância Sanitária flagraram festa clandestina em SP

Neste sábado (06), cerca de três festas clandestinas reuniram centenas de pessoas na Grande São Paulo . Dia em que restrições da fase vermelha do Plano São Paulo, para conter a proliferação do novo coronavírus no estado tiveram início. Na Zona Leste, aproximadamente 200 pessoas e drogas foram apreendidas pela polícia. As informações foram apuradas pelo G1. 

O flagrante aconteceu após o recebimento de uma denúncia. Segundo as autoridades, a festa contava receber 1.500 pessoas e evento acontecia na Avenida Amador Bueno da Veiga, 4879. Segundo a  Vigilância Sanitária Estadual , aproximadamente 43 estabelecimentos foram notificados e fechados entre a noite de sexta (05) e madrugada de sábado (06) na cidade paulista. Tal atitude foi devido ao descumprimento das novas normas impostas pelo governo do estado. 

Inspeções também foram realizadas nos bairros de Itaim Bibi, Pinheiros, Vila Mariana, Paraíso, Moema, Morumbi e Jabaquara. Em São Bernardo, pela Operação Toque de Recolher , a Guarda Civil Municipal dispersou duas aglomerações em vias públicas do município. Juntas, elas somavam mais de 600 pessoas compostas por jovens, que não praticavam o distanciamento social e sem máscaras. 

Segundo as informações da GCM, a maior aglomeração foi vista na Avenida Juscelino Kubitschek, no bairro Alves Dias. Lá aproximadamente, 400 pessoas foram dispersas pela Ronda Ostensiva Municipal ( ROMU ) de São Bernardo. Outro evento foi visto na Rua Cassiano Gabus Mendes, no Jardim Calux, e também teve que ser encarrado com a ajuda das autoridades. No local, 200 pessoas se aglomeravam ao em torno de carros de som. 

De acordo com a Prefeitura de São Bernardo do Campo, foi informado a GCM que, mais uma festa acontecia no bar da esquina da Estrada Pedra Branca, no bairro Montanhão, foi dispersada pela polícia após receber denúncia. Cerca de 50 pessoas foram encontradas escondidas no local. 

O não cumprimento das medidas deixa o estabelecimento sujeito a multa, com base Código Sanitário, que pode chegar em até R$ 290 mil. Pela falta de máscara, já que seu uso é obrigatório, a multa é de R$ 5.278 para o estabelecimento, por cada infrator. Pessoas em espaços coletivos também podem receber multa em até R$ 551, pela falta de proteção. 

A Vigilância Sanitária Estadual diz que, além das blitzes, fiscalizações também podem ser feitas por denúncias pelo telefone 0800 771 3541 ou pelo e-mail [email protected] 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários