Gilmar Mendes, ministro do STF
NELSON JR./STF
Gilmar Mendes, ministro do STF

O ministro Gilmar Mendes , do Supremo Tribunal Federal (STF) escreveu nesta terça-feira (16) um tweet em defesa da divisão dos poderes (executivo, legislativo e judiciário), e mandou recado ao Executivo: "Ao deboche daqueles que deveriam dar o exemplo responda-se com firmeza e senso histórico: Ditadura nunca mais! "


A manifestação do ministro do STF vem após o ex-comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas , alfinetar o também ministro do STF Edson Fachin , que respondeu ameaça dos militares com três anos de atraso.

"Três anos depois", ironizou Villas Boas. Fachin havia afirmado ser "intolerável e inaceitável" a pressão de militares sobre o STF, fato que ocorreu em 2018 às vésperas do julgamento de um habeas corpus pedido pela defesa do ex-presidente Lula.

A reprimenda de Fachin ocorreu por causa de revelações sobre os bastidores de um post que o general fez no Twitter, em 2018, às vésperas do STF julgar um pedido de habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No post, Villas Bôas ameaçou declarando "repúdio à impunidade".

Recentemente, Villas Bôas publicou em seu livro que integrantes do alto escalão do Exército e ministros do governo de Jair Bolsonaro o ajudaram a escrever o post. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários