Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara dos Deputados, criticou os quatro decretos editados por Bolsonaro para flexibilizar a compra e o porte de armas no Brasil
Reprodução / Agência Câmara
Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara dos Deputados, criticou os quatro decretos editados por Bolsonaro para flexibilizar a compra e o porte de armas no Brasil

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), reagiu às críticas sofridas por bolsonaristas que defendem os quatro decretos sobre armas editados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) . Ao Radar, da Veja , o deputado disse que “esse tipo de crítica não me intimida”.

“Pelo contrário, fortalece a minha convicção. Sou um moderado e cada fez que extremistas me atacam, tenho mais certeza de que estou no caminho certo”, afirmou Ramos.

O ataque dos bolsonaristas começou após o vice da Câmara afirmar, nas redes sociais, que “o conteúdo dos decretos relacionados a armas editados pelo presidente é o fato de ele exacerbar do seu poder regulamentar e adentrar numa competência que é exclusiva do Poder Legislativo (...) “O presidente pode discutir sua pretensão, mas encaminhando PL à Câmara”, disse

No dia seguinte (15), Ramos voltou a criticar os decretos. O parlamentar disse que existe "um uso da questão do CACs [sigla para colecionadores, atiradores e caçadores] para dissimular o desejo de armar a população". "O povo não precisa de arma, precisa de vacina".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários