Nathanna Faria Ceshim
Reprodução
Nathanna Faria Ceshim


A enfermeira que debochou da CoronaVac foi demitida da Santa Casa de Misericórdia de Vitória, no Espírito Santo. A funcionária, identificada como Nathanna Faria Ceschim, publicou um vídeo nas redes sociais comparando a aplicação do imunizante a "tomar água" quando comentou sobre a eficácia de 50,38% do imunizante do Instituto Butantan. 

Por meio de nota, o hospital disse que "tomou todas as medidas cabíveis relacionadas ao assunto e que não mais se manifestará sobre o ocorrido". No texto, a direção ainda afirma que mantém "a postura clara e irrestrita com relação à importância da vacina como única solução possível para conter o avanço dos novos casos de coronavírus".

O hospital também diz que segue "o calendário de vacinação da Prefeitura de Vitória, imunizando seus profissionais que atuam na linha de frente de acordo com as prioridades estabelecidas pelo Plano Nacional de Vacinação". O Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo (Coren-ES) informou que não vai comentar sobre a demissão de Nathanna, embora no site a entidade diga que ela será investigada pelo Conselho de Ética.

Você viu?

Mais cedo, o Ministério Público do Espírito Santo ( MPES ) disse irá acompanhar as investigações contra a enfermeira, que ainda apareceu nas imagens sem estar usando máscara durante o expediente no hospital em que trabalhava.

A promotora Inês Thomé irá instaurar procedimento administrativo para acompanhar as apurações que já estão sendo feitas pelo hospital onde Nathana atua e pelo Coren-ES.

"O Ministério Público repudia qualquer ato neste sentido, mesmo porque nós estamos em meio a uma pandemia e a vacina é uma vitória da ciência. Nós precisamos nos imunizar para que a gente possa não só resguardar a nossa vida como a vida de todas as pessoas que circulam no meio de nós", afirma a promotora.

Nathana, que recebeu a primeira dose da CoronaVac, imunizante contra a Covid-19, desdenhou da vacina, que para ela, seria como "tomar água".

"Tomei por conta que eu quero viajar, não para me sentir mais segura. Porque uma vacina que dá 50% de segurança para mim não é uma vacina. Tomei foi água", disse a funcionária.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários