Ramagen, diretor da Abin
Carolina Antunes/PR
Relatórios da inteligência brasileira teriam favorecido defesa de Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas

O partido Rede Sustentabilidade pediu ao Supremo Tribunal Federal que afaste do cargo o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno , e o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem .

O ofício foi enviado nesta sexta-feira (11), após denúncia de suposta existência de relatórios produzidos pela inteligência brasileira para auxiliar a defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) , acusado de peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro no caso das 'rachadinhas' na ALERJ.

A peça foi enviada ao ministro Ricardo Lewandowski, que é relator de um pedido de abertura de inquérito contra Heleno e Ramagem para investigar uma reunião dos dois com advogados de Flávio, em setembro. O encontro contou com a presença de Jair Bolsonaro e tratou de uma estratégia para anular as investigações do caso Queiroz conduzidas pelo Ministério Público do Rio.

A defesa de Flávio afirma que as informações presentes no relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que identificou repasses suspeitos de Queiroz foram obtidas de forma ilegal.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários