O deputado federal Marcelo Freixo
Guito Moreto / Agência O Globo
O deputado federal Marcelo Freixo


O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) apresentou uma representação ao procurador-geral da República, Augusto Aras , nesta sexta-feira (11), para que se investigue a denúncia de que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) produziu relatórios para orientar de defesa do senador Flávio Bolsonaro que embasaram um pedido de anulação do caso Queiroz .


Você viu?

O deputado pede para seja apurado se houve ato de improbidade administrativa , crime contra a administração e outras condutas reprováveis do ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, do ministro de Gabinete de Segurança Institucional , Alexandre Ramagem e outros envolvidos no caso. Freixo quer também que Heleno e Ramagem dê explicações na Câmara.

"É muito grave imaginar que um órgão público como a Abin serviu a um interesse privado. Isso já seria um desvio de função. Mas é mais do que isso, quando a Abin organiza uma estratégia para fazer com que um réu possa escapar de uma investigação, o órgão púbico está provocando uma obstrução de Justiça. O filho do presidente não é melhor, maior ou mais importante que outro cidadão, "disse Freixo.

Dois documentos, obtidos pelo colunista Guilherme Amado, da Revista Época, e cuja autenticidade e procedência foram confirmadas pela defesa do senador, a Abin detalha o funcionamento da suposta organização criminosa em atuação na Receita Federal (RFB), que, segundo suspeita dos advogados de Flávio, teria feito um escrutínio ilegal em seus dados fiscais para fornecer o relatório que gerou o inquérito das rachadinhas . Os documentos foram enviados para Flávio em setembro e repassados por ele para seus advogados.

"O esquema da rachadinha, envolvendo o senador Flávio Bolsonaro , já transcendeu ao processo criminal e tem se confundido com os assuntos da Presidência da República e seus órgãos de Estado", justifica o deputado no pedido.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários