Governador de Minas Gerais alfinetou João Doria pela insistência em antecipar vacinação em São Paulo
Gil Leonardi / Imprensa MG
Governador de Minas Gerais alfinetou João Doria pela insistência em antecipar vacinação em São Paulo

O governador de Minas Gerais , Romeu Zema (Novo), se manifestou sobre a tentativa de governadores de se anteciparem ao plano de vacinação do Ministério da Saúde — como Doria (PSDB),  que prometeu iniciar vacinação em São Paulo no dia 25 de janeiro.

Segundo Zema , a "corrida maluca" pode gerar "efeitos secundários" maiores que benefícios de vacinar grupos prioritários.

“Em se tratando de uma imunização como essa, é necessário haver uma ação única, principalmente para evitar tumultos. Se algum município ou estado fizer antes ou depois, nós vamos estar ou privilegiando, ou prejudicando as pessoas. E uma constituição direito à saúde para todos ”, afirma o governador,  que geralmente tem posições alinhadas ao presidente Bolsonaro (sem partido).

“O efeito colateral de alguém que saia na frente pode ser maior que o benefício. Tem governadores que gostariam de interferir, isso vai gerar uma corrida maluca . Temos que prever as consequências ”, continuou.

O governador diz que não tem preferência por alguma vacina. Segundo ele, a preferência é pelo imunizante "que sair primeiro e tiver comprovação que é eficaz". Por enqunato, Zema não negociou com o Instituto Butantan para adquirir a Coronavaccomo fizeram outros governadores.

Zema afirma que já deixou montada a estrutura básica para a vacinação em todo o estado. “Temos tudo planejado, estruturado. Se a vacina chegar na semana que vem, as condições de ser distribuída para todos os municípios e aplicada."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários