Brasileiros reduziram adesão às medidas de isolamento social, mostra IBGE
ESTADÃO CONTEÚDO
Brasileiros reduziram adesão às medidas de isolamento social, mostra IBGE

O número de brasileiros que seguem à risca as medidas de isolamento social tem caído mês a mês. Em outubro, apenas 12 a cada 100 pessoas permaneceram rigorosamente isoladas, de acordo com a pesquisa Pnad Covid, realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e divulgada nesta terça-feira (1).

A pesquisa mostra que o número de brasileiros isolados reduziu quase pela metade em três meses, desde julho, quando o indicador marcava 23,3%. Em outubro, o percentual bateu 12,4%.

Flexibilização de comportamento

A proporção de pessoas que saem de casa apenas em caso de necessidades básicas também caiu, e agora está em 38,2%. Houve, também, flexibilização de comportamento.

Os brasileiros que reduziram o contato mas continuam saindo de casa chegaram a 44,3%, um aumento de 4,5 pontos em comparação com setembro. Quanto às pessoas que não fazem nenhuma restrição , o índice é 4,6%, ante 3% do mês anterior

Em números absolutos, 36,3 milhões de pessoas ficaram rigorosamente em casa em outubro, enquanto 9,7 milhões não fizeram restrição alguma. Os que saíram em caso de necessidade somaram 80,7 milhões, contra 93,8 milhões de outros que reduziram contato, mas continuaram saindo de casa ou recebendo visitas.

Você viu?

Aumento de diagnósticos positivos

De acordo com o IBGE, 5,7 milhões de brasileiros testaram positivo para a Covid-19, um aumento de 900 mil na comparação com setrmbro.

De acordo com a coordenadora da pesquisa, Maria Lúcia Vieira, a maioria dos testes foi feita por pessoas que ganhavam mais de quatro salários mínimos (24,6%) e que tinham nível superior completo (25,0%).

Além disso, os jovens de 20 a 29 anos (14,2%) foram mais testados que os idosos (10,9%), pertencentes ao grupo de risco da doença. Entre as pessoas de 30 a 59 anos de idade (16,5%) ficou o maior percentual de testes realizados para Covid-19. "Frente a setembro, mais 3,7 milhões de pessoas fizeram algum teste e 897 mil testaram positivo", disse Maria Lucia Vieira.

Queda nos sintomas

Apesar do aumento de diagnósticos positivos, houve queda na quantidade de pessoas que relataram sintoma de síndromes gripais (tosse, febre e dificuldade para respirar). Foram 7,8 milhões em outubro; em maio, eram 24 milhões.

Na análise regional, o Distrito Federal (23,9%) teve o maior percentual de pessoas que realizaram testes em outubro. Depois veio Piauí (19,1%) e Goiás (18,9%). Já Pernambuco (7,9%), Acre (7,9%) e Minas Gerais (9,3%) apresentaram os menores índices.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários