O escritor João Paulo Cuenca virou réu após fazer postagem contra a Igreja Universal
Reprodução / Wikipedia
O escritor João Paulo Cuenca virou réu após fazer postagem contra a Igreja Universal

A conta do escritor João Paulo Cuenca foi suspensa do Twitter a pedido da Justiça do Rio de Janeiro. A requisição foi feita após Cuenca ter publicado em junho que o "brasileiro só será livre quando o último Bolsonaro for enforcado nas tripas do último pastor da Igreja Universal ".

O texto é uma paráfrase de Jean Meslier , autor do século 18. No original, Meslier escreve que "o homem só será livre quando o último rei for enforcado nas tripas do último padre".

O pastor Nailton Luz dos Santos pede indenização em R$ 10 mil por danos morais devido a postagem, além da remoção das redes sociais. O juiz da comarca de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, Ralph Machado Manhães Junior assina a decisão.

A justificativa que embasa a decisão alega que há "extrapolação" no direito de liberdade de expressão, "pois a postagem do réu é ofensiva e  incitatória à prática de crime ao incitar claramente a violência contra grande parte da população".

Até o momento, 134 processos partindo de 21 estados foram iniciados por religiosos contra João Paulo Cuenca.

A medida determinada pela Justiça do Rio de Janeiro será recorrida pela defesa de Cuenca, que ainda não teria sido intimada oficialmente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários