Incêndio
Reprodução
Incêndio ocorreu na última terça-feira; desde então, população segue sem energia no estado

No quinto dia do apagão no Amapá , o fornecimento de energia foi retomado em bairros da zona sul, norte e região central da capital Macapá, e ainda em outras áreas do município de Santana, na madrugada e o início da manhã deste sábado (7). No entanto, a zona oeste da capital ainda segue sem energia. No Conjunto Macapaba, na Zona Norte, o serviço voltou no início da manhã, mas foi suspenso novamente. As informações são do portal G1.

Também na manhã deste sábado, o presidente Jair Bolsonaro publicou vídeo em que afirma que o abastecimento de água e o funcionamento dos hospitais já estão normalizados no Amapá. "O abastecimento de água já foi normalizado e todos os hospitais já estão com energia", disse em vídeo gravado na noite de sexta-feira e publicado na manhã deste sábado em sua conta no Twitter.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque , que está em Macapá, havia afirmado na sexta-feira (6) que o fornecimento de energia no Amapá só será totalmente normalizado em dez dias. Também nesta sexta, o  governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), decretou estado de emergência em função do apagão.

O Ministério de Minas e Energia (MME) previa retomar o fornecimento para até 70% do estado nesta madrugada, após a chegada de uma  aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) com equipamentos a serem usados na manutenção do único transformador que restou na principal subestação do estado, atingida por um incêndio na terça-feira (3).

No vídeo publicado esta manhã, o presidente afirma que  "o óleo estando em condições após o teste, o transformador será posto em funcionamento paulatinamente. Dessa forma, em torno de 60% da necessidade do Estado deverá ser atendida até às 24 horas de hoje (sexta-feira). Para suprir a lacuna energética, geradores termoelétricos serão usados pela Eletronorte (subsidária da Eletrobras na região)".

Quase 90% da população do estado  - cerca de 765 mil pessoas - estão sem energia elétrica . A subestação alimenta 13 das 16 cidades do estado. Com a falta de eletricidade, há problemas no fornecimento de água potável e ainda falhas nas telecomunicações. Há filas em mercados e postos de gasolina e já começa a faltar água.

    Veja Também

      Mostrar mais