.
Agência Senado
O senador Telmário Mota em sessão plenária


O senador Telmário Mota (PROS-RR) afirmou que o jornalista Romano dos Anjos , vítima de sequestro em Boa Vista e encontrado vivo  nesta terça-feira (27), "deve estar sendo vítima das suas próprias palavras". Em gravações enviadas pelo Whatsapp, Telmário chama o profissional da imprensa de 'mau caráter', 'bandido' e 'mentiroso safado'. Também afirma que não lamentaria a sua morte, caso ocorresse.


"Quanto à vida dele, é claro que eu quero, peço a Deus que salve, mas dizer 'não, ele é gente boa'? Não, ele é mau caráter . Para mim, se o cabra não presta, pode até morrer, não vou dizer 'ah, coitadinho, morreu'. Não. Se não presta, não presta. Acabou", disse o parlamentar em uma das gravações.

Segundo a imprensa local, Romano foi sequestrado na própria casa. Ele foi encontrado horas depois, ferido, e teve as pernas e braços quebrados, de acordo com a Polícia Civil.

Os áudios de Telmário foram divulgados inicialmente pela revista Crusoé e confirmados pelo Globo. Após a divulgação, o senador afirmou que quis dizer que, mesmo se o jornalista morresse , "continuaria a dizer que ele não presta". Ele reiterou todas as declarações.

"Não é porque ele morreu que eu vou dizer que ele é bom, não . Isso que eu disse. Eu não disse 'ah, ele não presta, pode morrer'", esclareceu.

Em outra gravação, Telmário reclama que o jornalista tentou associá-lo a investigações sobre desvios na saúde pública do Estado nos últimos dias. O senador do PROS também é investigado na operação na qual o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) foi flagrado com dinheiro na cueca. Telmário nega qualquer envolvimento com irregularidades.

"A semana inteira tentou induzir que participei de roubo na saúde. Aí vou ficar de hipocrisia? Para mim ele é um indivíduo mau caráter , bandido, deve estar sendo vítima das suas próprias palavras. Se de fato ele foi sequestrado que deus tenha pena dele e salve a vida dele, mas não sou hipócrita", disse.

Nos áudios, o parlamentar afirmou, ainda, que o jornalista deve ser comparado a um " bandido de favela " e que "ninguém tem pena" de bandido. "Não vejo ninguém aqui se manifestar com pena de bandido que até matam. Qual é a diferença que todo dia fala mentira, calúnia e difamação?", questionou o senador.

Em outra fala, Telmário reclama de "injustiças" que sofreu de Romano dos Anjos ao citar matérias jornalísticas feitas pelo profissional da imprensa. O senador defende que haja uma investigação para atestar a veracidade do sequestro. Ele afirmou que o caso "tem muitas interrogações".

    Veja Também

      Mostrar mais