Comboio
Reprodução
Comboio da milícia foi interceptado em Itaguaí

A força-tarefa da Polícia Civil, criada para combater a ação de milícias na Baixada Fluminense, realizou mais uma ação, nesta quinta-feira (15). Desta vez, o grupo, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), interceptou um comboio de milicianos na altura do posto da PRF da Rio-Santos, em Itaguaí, na Zona Oeste. Na ação, policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), em ação conjunta com e da PRF, foram atacados pelos suspeitos, que portavam fuzis. Há informações de moradores de que pelo menos dez bandidos foram mortos.

A Polícia Civil, por meio de nota, confirma que suspeitos foram mortos , mas não informa quantos. Pelo menos oito fuzis foram apreendidos, além de pistolas, munição, aparelhos de comunicação e os quatro carros que faziam parte do comboio.

Ainda segundo a nota, o comboio era formado por milicianos ligados a Danilo Dias Lima, o Danilo Tandera, que faz parte do grupo de Wellington da Silva Braga, o Ecko. Eles vinham sendo monitorados há cerca de 15 dias pelo serviço de inteligência da força-tarefa, que apurou a frequente movimentação de criminosos em uma rota que liga a Zona Oeste à Baixada. Os criminosos, ao perceberem que estavam cercados, abriram fogo contra a polícia, que respondeu à ofensiva.

Nas redes sociais, moradores relataram a ação: "clima tenso na Rio Santos na altura da base da PRF , em Itaguaí. Informações dão conta de que milicianos foram baleados ao confrontar os agentes".

Ação em Nova Iguaçu

A Polícia Civil criou esta força-tarefa voltada para a Baixada Fluminense visando a garantir uma eleição livre e segura depois que dois candidatos a vereador foram assassinados na Baixada num intervalo de menos de 15 dias. Os crimes levaram a polícia a antecipar a atuação do grupo, que já vinha sendo desenhada, conforme adiantou ao Extra o delegado Allan Turnowski, secretário de Polícia Civil do Rio.

Ainda de acordo com o secretário, para aumentar o suporte às investigações sobre os crimes ligados a fatores políticos, foram postos em cargos estratégicos delegados com experiência na Baixada.

Na noite de quarta-feira, em operação na região conhecida como Km 32, em Nova Iguaçu , a força-tarefa foi recebida com tiros de fuzil. Foram confirmadas cinco mortes no local. Houve apreensão de cinco pistolas semi-automáticas, uma réplica de fuzil, fardas militares, colete balístico, rádio comunicador e três veículos.

A operação , realizada por policiais civis da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), tinha o objetivo de verificar informações de inteligência oriundas da Subsecretaria de Inteligência (SSINT), que davam conta de uma reunião com pelo menos 40 criminosos armados no local, sendo todos ligados à milícia. Ecko e Tandera teriam estado no local.

    Veja Também

      Mostrar mais