aula
AGENCIA O GLOBO/
Em meio à pandemia de Covid-19 alunos assistem aulas pela internet

O Conselho Nacional de Educação, órgão liado ao Ministério da Educação (MEC), aprovou, nesta terça-feira (6), a prorrogação do ensino remoto na educação básica e superior até o dia 31 de dezembro de 2021. Até agora, a medida valeria até dezembro, mas a pasta decidiu aumentar esse prazo por conta da extensão dos problemas causados pela pandemia de Covid-19.

O documento do órgão ligado ao MEC também não recomenda a reprovação em 2020. Foi sugerido que se adotem "anos escolares contínuos", juntando a série em que o estudante está neste ano com a próxima, em 2021.

"O reordenamento curricular do que restar do ano letivo de 2020 e o do ano letivo seguinte pode ser reprogramado, aumentando-se os dias letivos e a carga horária do ano letivo de 2021 para cumprir, de modo contínuo, os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento previstos no ano letivo anterior" diz o documento.

Algumas redes públicas de ensino já anunciaram a junção dos dois anos letivos, como forma de não prejudicar os estudantes que não puderam acompanhar o ensino à distância.

Uma delas é a rede estadual de São Paulo, que ontem abriu matrículas para um novo 4º ano do ensino médio para os alunos que quiserem continuar estudando em 2021.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários