Vacinação
Foto: shutterstock
No Brasil, os testes da vacina contra a Covid-19 começaram no início de agosto

A alemã BioNTech acredita que a vacina experimental contra a Covid-19 que está desenvolvendo com o laboratório norte-americano Pfizer pode ser armazenada em temperaturas de geladeira por pelo menos duas semanas.

A notícia dissipa preocupações de que o insumo teria que ser ultracongelado, em um processo mais complexo. As empresas iniciaram em agosto testes com voluntários no Brasil.

O presidente-executivo da empresa de biotecnologia alemã, Ugur Sahin, informou que testes confirmaram que o composto genético permanece estável entre 2°C e 8°C durante cinco dias. Mas ele acredita que o armazenamento nessas condições seja de duas semanas ou até mais.

No Brasil, os testes da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelas duas companhias começaram no início de agosto. Os testes devem mobilizar um total de 1 mil voluntários nas cidades de São Paulo e Salvador, e não estão restritos a profissionais de saúde.

À época do ínicio dos testes, a empresa informou que os participantes seriam divididos em dois grupos de 250 pessoas. Os integrantes de um receberiam a vacina e os demais, um placebo - substância sem efeito contra a doença. A expectativa é ter uma resposta até outubro para então apresentar os dados às autoridades regulatórias de todo o mundo.

    Veja Também

      Mostrar mais