Danilo foi encontrado morto em lamaçal nas proximidades da casa dele
TV Anhanguera/Reprodução
Danilo foi encontrado morto em lamaçal nas proximidades da casa dele

O vendedor de materiais recicláveis Reginaldo Lima Santos, de 33 anos, foi solto na tarde da quarta-feira (12) após passar 12 dias detido por acusação de envolvimento na morte do próprio enteado , Danilo de Sousa, de 7 anos, afogado na lama na cidade de Goiânia, em Goiás.

O homem foi preso após ser indicado pelo servente de pedreiro Hian Alves de Oliveira como mandante da morte da criança. Na ocasião, Hian afirmou que foi contratado para matar o menino junto com Reginaldo, mas que teria deixado o padrasto do garoto sozinho  com a vítima na cena do crime após espancar a criança.

Após diligências policiais, porém, a polícia descobriu provas de que o padrasto de Danilo não estava no local do crime. Apesar disso, ele ainda é apontado como responsável por moradores do bairro e vai passar algum tempo fora da cidade como forma de preservar a própria segurança.

A linha seguida pela polícia civil após a participação do padrasto ser descartada é de que Hian, que morava com um pastor evangélico, ficou com ciúmes do auxílio financeiro dado pelo religioso a Reginaldo. Ele teria, então, matado o garoto com intuito de apontar o homem como realizador do crime.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários