O número de transplantantes de órgãos diminuiu no último semestre
Cadu Rolim/Fotoarena/Agência O Globo
O número de transplantantes de órgãos também diminuiu no último semestre

Devido ao impacto da pandemia de Covid-19, a taxa de doadores de órgãos efetivos caiu 26,1% entre o primeiro e o segundo trimestres de 2020, segundo um levantamento divulgado nesta quarta-feira (12) pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO).

Em junho deste ano, havia 40.740 pacientes no Brasil esperando por uma doação. No primeiro semestre de 2020, houve queda de 6,5% no número de doadores de órgãos em comparação com o primeiro semestre de 2019.

Nos últimos anos, o número de doadores de órgãos vinha crescendo. Em 2019, foram 18,1 doadores por milhão de população (pmp). Seguindo as projeções esperadas, no primeiro trimestre de 2020, o Brasil chegou ao marco de 18,4 pmp, quando ainda a Covid-19 ainda tinha poucos infectados no país.

A partir de abril, quando a pandemia no Brasil se agravou, o número de doadores começou a reduzir. No segundo trimestre foram registrados 13,3 doadores por milhão de população – uma queda de 26,1% entre os dois trimestres.

O número de doadores diminuiu nas regiões Norte, 47,4%, Nordeste, 37%, e Centro-Oeste, 12,6%, e cresceu nas regiões Sul, 5%, e Sudeste, 3,1%.

O número de transplantantes de órgãos também diminuiu no último semestre. Em comparação com o primeiro semestre de 2019, houve redução de transplantes de córneas, 44,3%, pâncreas, 29,1%, coração, 27,1%, rim, 18,4%, e figado, 6,9%.

Transplantes com doadores de órgãos vivos também reduziu em 58,5% para rins e em 23,6% para figado, devido ao alto risco de contaminação pela Covid-19 devida à baixa da imunidade e ao período de internação após a cirurgia.

    Veja Também

      Mostrar mais