pele de peixe
Viktor Braga / Universidade Federal do Ceará
Tratamento para queimaduras com pele de tilápia é estudado no Ceará

Pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFC) anunciaram nesta quinta-feira (6) que enviarão todo o estoque de pele de tilápia disponível na instituição, 40 mil cm², para ajudar a tratar queimados na explosão que devastou a cidade de Beirute, no Líbano, na última terça-feira (4).

A pele de tilápia é pesquisada nos últimos anos como curativo para cuidar de queimaduras de segundo e terceiro grau. O projeto da UFC já foi testado nos Estados Unidos e ganhou até mesmo um projeto da Agência Espacial Norte Americana (Nasa) para ser enviada ao espaço.

Em entrevista ao canal Verdes Mares, os pesquisadores apontaram, porém, que para ser enviado ao Líbano, é necessário que um processo burocrático seja feito entre os dois países. “Como é um material de pesquisa, os ministérios da Saúde dos dois países precisam se contactarem e autorizarem o envio e o uso”, afirmou o pesquisador Felipe Rocha.

Até o momento, o governo libanês confirmou cinco mil feridos na explosão de um galpão repleto de nitrato de amônio no porto de Beirute na terça-feira. Pelo menos 137 pessoas morreram. Hospitais estão lotados e ajuda internacional com materiais de saúde e profissionais de socorro são enviadas.

    Veja Também

      Mostrar mais