Secretário estadual de Saúde André Longo
Hélia Sheppa/SEI
Secretário estadual de Saúde André Longo

Na última quinta-feira (30), durante coletiva de imprensa virtual, o secretário estual de Saúde, André Longo, declarou que o pico da pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2) em Pernambuco aconteceu em maio, quando 3.082 pessoas perderam a vida para a Covid-19

O número, no entanto, pode ser maior e retificado posteriormente, tendo em vista que há um espaço de tempo entre a morte e a devida notificação à Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Nos últimos dois dias (29 e 30 de julho), por exemplo, o estado recebeu a confirmação de 60 mortes ocorridas entre 1º de maio e 26 de julho. Isso acontece tanto pela demora na liberação do exame laboratorial quanto por parte de prefeituras e hospitais, tendo em vista que acabam acumulando informações de vários dias e notificam a SES de uma vez. 

A pasta têm informações sobre óbitos até 25 de julho. De acordo com esses números, o mês de março apresentou 14. Em abril, foram 1.058. Em maio, saltou para 3.082. Em junho, recuou para 1.511. E entre 1º e 25 de julho, o total de mortes é de 688, mostrando que o pico já passou. 

Mesmo após a declaração, André Longo pondera. "O vírus continua entre nós. Ele ainda contamina as pessoas. Ainda existe uma circulação sustentada em Pernambuco . Há mais de 700 pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), internados em UTIs. É um número considerável e que merece o nosso respeito”. Com informações do Diário de Pernambuco .

    Veja Também

      Mostrar mais