Ágatha morreu após ser atingida por um tiro de fuzil nas costas
Arquivo pessoal
Ágatha morreu após ser atingida por um tiro de fuzil nas costas

Um projeto de lei inspirado no caso da menina Ágatha , moradora do Complexo do Alemão morta por um policial do Rio de Janeiro, foi barrado pela Comissão de Constituição e Justiça da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), segundo informações do UOL .

O projeto foi feito pelas deputadas Renata Souza (PSOL), Martha Rocha (PDT) e Dani Monteiro (PSOL). A proposta consistia em priorizar as investigações  sobre mortes de crianças e adolescentes nos casos em que os suspeitos fossem agentes do Estado.

Conforme determinado pela Alerj, o projeto será anexado a outro PL, que prioriza a investigação de crimes contra crianças e adolescentes, mas não inclui a especificação dos suspeitos serem policiais ou oficiais

De acordo com a decisão, "apesar de ser meritória, a presente proposta tem seu objeto integralmente abarcado pelo Projeto de Lei nº 1495/2019, que também busca autorizar a priorização da apuração de crimes hediondos".

    Veja Também

      Mostrar mais