Metrô de São Paulo
Cris Castello Branco
Metrô de São Paulo vai desocupar três prédios usados em trabalho presencial

O Metrô de São Paulo vai adotar o trabalho remoto permanente para 600 funcionários que podem desempenhar suas funções à distância mesmo após o fim da pandemia da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). A informação é da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo .

As áreas afetadas com o novo regime de trabalho são os setores de recursos humanos, comunicação, contabilidade, planejamento, jurídico, infraestrutura e contratos.

Como resultado, três prédios que são utilizados por esses funcionários serão desocupados e o metrô só vai manter um, que fica no centro de São Paulo. Dois desses edifícios, que eram alugados, serão devolvidos. O outro, que é de propriedade da empresa, será colocado à venda.

Segundo os cálculos do governo, a mudança deve permitir uma redução de gasto anual em torno de R$ 9 milhões. Ao todo, a mudança vai resultar da desocupação de 13 mil m² de área.

    Veja Também

      Mostrar mais