carro estacionado em rua
Maira Coelho / O Dia
Imagem ilustrativa

Um policial militar do 6º BPM (Tijuca) foi indiciado por homicídio no caso do mototaxista Matheus Henrique da Silva Oliveira, de 23 anos, morto próximo à comunidade do Borel, na Tijuca, em 30 de maio deste ano. A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) concluiu o inquérito nesta terça-feira. As investigações apontaram que o rapaz foi baleado durante uma abordagem dos agentes da UPP Borel.

Durante a apuração do caso, a DHC encaminhou as armas dos PMs que estavam na ação, tendo uma delas dado positivo durante o confronto balístico com um projétil encontrado no corpo de Matheus. Em 10 de junho, um policial militar, que teve a identidade preservada, confirmou ter atirado na direção da vítima. A arma de calibre 38 entregue por ele à Polícia Civil foi compatível durante o exame. A investigação também realizou perícia no local, colheu depoimento dos policiais, de familiares de Matheus e de testemunhas e analisou imagens de câmeras de segurança próximas ao local.


Na época, os policiais alegaram que Matheus e outro mototaxista que estava na carona na moto não teriam respeitado a ordem para parar ao passarem pela Rua Embaixador Ramon Carcano. Quando o jovem foi atingido, os agentes acionaram a ambulância do Corpo de Bombeiro para o socorro. Ele foi levado para o Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro, mas não resistiu aos ferimentos. O caso foi registrado na 19ª DP (Tijuca) como desobediência.

Segundo vizinhos de Matheus afirmaram na época, ele transportava um amigo na garupa da moto e se assustou com a presença de policiais parados na esquina, numa área escura. Os policiais também teriam se assustado com o movimento da moto e atirado contra o jovem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários