jair bolsonaro com apoiadores em manifestação
Reprodução/redes sociais
Presidente tem causado aglomerações mesmo com medidas de distanciamento social


Após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmar que está com a Covid-19 , doença transmitida pelo novo coronavírus, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, e a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) desejaram que o presidente tenha uma recuperação rápida.



As duas organizações também alertaram que o fato intensifica ainda mais o alerta para a implementação de medidas rígidas para combater a pandemia no Brasil.

Em entrevista, Adhanom alertou novamente que qualquer pessoa pode ser contaminada, até mesmo líderes governamentais, em qualquer lugar do mundo. Bolsonaro é o 4º governante de liderança no mundo a ser acometido pela doença .

"Esperamos que sua excelência, o presidente, esteja bem e se recupere rapidamente”, disse o diretor-geral da OMS . “Espero que os sintomas sejam leves e que sua excelência esteja de volta à ativa o quanto antes para apoiar seu país", acrescentou.

Adhanom afirmou novamente que a situação das Américas é vista com muita preocupação, com exceção do Canadá, na América do Norte, que tem conseguido conter a pandemia. “As divisões serão uma vantagem para o vírus, não somente no Brasil, mas em toda a América Latina, que não parece bem, e a América do Norte”, afirmou.

“Isso mostra que somos todos vulneráveis”, completou o diretor de Emergência do órgão, Michael Ryan.

Marcos Espinal, Departamento de Doenças Transmissíveis da Opas , Marcos Espinal, afirmou em coletiva de imprensa que o distanciamento social e o uso de máscara são imprescindíveis para contribuir com a diminuição do nível de contágio.

"A mensagem é que o vírus é imprevisível e não respeita raça, classe ou pessoas no poder, apesar da segurança ao redor de qualquer presidente", afirmou.

    Veja Também

      Mostrar mais