Segundo testemunhas, Ítalo estava brincando na porta de casa
Acervo familiar / Reprodução
Segundo testemunhas, Ítalo estava brincando na porta de casa

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) investiga se o assassinato de um homem pelo tráfico em Mesquita tem alguma ligação com o caso do menino Ítallo Augusto de Castro de Amorim . A criança de sete anos morreu após ser atingido na cabeça por uma bala perdida, na noite desta terça-feira, em São João de Meriti.

De acordo com testemunhas, Ítallo estava brincando no portão de casa, no bairro Éden, com amigos, por volta das 21h, quando foi baleado. Ele chegou a ser socorrido na UPA da região, mas não resistiu.


Um familiar, que não quis se identificar, contou ao DIA que o tiro que atingiu Ítallo foi dado por um ladrão conhecido na região. O criminoso atirou contra uma viatura da Polícia Militar que estava no local. Ele teria sido morto momentos depois por traficantes locais.
Apesar de trabalhar com a hipótese do autor do disparo que atingiu o menino ter sido assassinado, a Polícia Civil disse, em nota, que "por enquanto nenhuma linha de investigação é descartada".

A PM confirmou a versão do familiar, dizendo que no momento em que Ítallo foi baleado, agentes do 21º BPM (São João de Meriti) que estavam patrulhando a região foram atacados por um homem que estava em uma moto, na Rua Ceci. Ele fugiu depois que fez os disparos.

"Não houve reação da equipe policial. A viatura foi perfurada na ação criminosa. Ao cessar a situação, foi informado que uma criança havia sido ferida. Os policiais apoiaram o socorro, que estava sendo feito pelas pessoas do local", a PM acrescentou, em nota.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários