queiroz
Divulgação
Queiroz foi preso em Atibaia, mas, segundo reportagem, passou antes pelo Guarujá

Um apartamento no Guarujá, que pertence à  família de Frederick Wassef, ex-advogado da família  Bolsonaro, foi usado para esconder Fabrício Queiroz por cerca de 5 meses. As informações foram divulgadas em reportagem do "Jornal da Band", na noite desta quinta-feira (25).

Segundo a reportagem, antes de levar Fabrício Queiroz para sua casa em Atibaia, no interior de São Paulo, Wassef escondeu Queiroz em um apartamento da família no Guarujá, com 200 metros quadrados, que fica numa área nobre da cidade. O ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro ficou por cerca de cinco meses no local depois de fazer uma cirurgia para a retirada de câncer no Cólon.

Segundo um morador do prédio, que não quer se identificar, as pessoas demoraram para descobrir que se tratava de Fabrício Queiroz quem estava vivendo no local. "No começo, ninguém sabia que era o Queiroz. Porque o prédio tem muito poucos moradores. A maioria do pessoal que frequenta o prédio é turista", disse.

"O pessoal foi perceber que era o Queiroz depois do carnaval mais ou menos", afirmou. Ainda segundo pessoas da região, Queiroz pouco saia do apartamento. Na maioria das vezes, ele era visto descendo para pegar comida. "Ele andava de bone e óculos escuros. Saia pouco do apartamento", disse outro morador.

No período em que Queiroz ficou no apartamento, Frederick Wassef o visitou algumas vezes, segundo a reportagem. "Quando o Queiroz estava lá, o Frederico apareceu algumas vezes. Todo mundo viu o Frederico, conhecido como Fred, no prédio, frequentando o edifício", disse a testemunha.

A reportagem da Band tentou contato com o advogado Frederick Wassef, mas não obteve resposta.

    Veja Também

      Mostrar mais