maconha
Polícia Civil/Divulgação
Com o 'turismo da maconha' bombando na região, os suspeitos cultivavam as drogas livremente dentro de casa


Um tráfico  verdadeiramente organizado : sementes, plantas de maconha e skunk 'gourmets' eram vendidos, descaradaramente, nas redes sociais  para turistas e moradores da cidade de São Thomé das Letras, em Minas Gerais. Na última quinta-feira (18), dois homens, de 25 anos, foram presos pela Polícia Civil por tráfico de drogas. 

Veja também:

Os anúncios online continham fotos e uma descrição sobre a qualidade dos entorpecentes. Nas casas dos suspeitos, foram encontradas plantações que mediam o equivalente a dez campos de futebol

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos tinha uma tática caso fossem abordados: carregar pouca quantidade das drogas para alegação de serem apenas usuários. 

"Verificamos que a venda não era exclusiva de sementes e, sim, de maconha 'gourmetizada' como, por exemplo, o skunk, que tem um teor de THC maior, em uma região propícia à plantação, que é São Tomé das Letras e que tem um público com interesse nesse tipo de cultura ", explicou o delegado Rodolpho Tadeu Machado, responsável pela investigação, que durou um mês. 

Com o 'turismo da maconha' bombando na região, os criminosos viram a oportunidade de cultivar as drogas livremente a partir de viveiros montados dentro de suas casas. Eles ainda montaram uma barraca onde vendiam lembranças de cidade e identificavam turistas interessados no consumo da droga, oferecendo amostras a eles. 

Ainda de acordo com o delegado, as sementes vinham da Europa e a unidade era vendida a R$ 100. Assim, o quilo das sementes poderia render à dupla R$ 100 mil reais de lucro . Eles podem podem pegar de 5 a 15 anos de prisão.

    Veja Também

      Mostrar mais