Renata Vasconcellos
Reprodução/TV Globo
Renata Vasconcellos


Após ser o principal alvo de  um homem armado, que invadiu a Rede Globo e acabou fazendo uma repórter como refém, a jornalista Renata Vasconcellos apresentou a edição desta quarta-feira (10) do Jornal Nacional. 

Willian Bonner falou sobre o atentado. "O homem estava perturbado e queria ver a Renata Vasconcellos porque era o aniversário dela e ninguém foi ferido, felizmente. Agradecemos todas as manifestações de apoio e agradecemos a atuação impecável da Polícia Militar", disse, 

"Vida que segue e desejo a paz a todos ", acrescentou Renata.

Entendendo o caso

Identificado como Tomas Rainer  - segundo seu Instagram -, ele  queria conversar com a jornalista e apresentadora por conta do aniversário dela, que é hoje. 

Você viu?

Enquanto mantinha Marina Araújo como refém, o suspeito beijava a cabeça da repórter. Ao saber que o homem queria falar com ela, Renata foi até o local em que o invasor estava.

Após ver Renata, o suspeito soltou a arma e foi preso pelos policiais que estavam no local. Ele estava mascarado e utilizava um chapéu no momento da invasão. 

Bolsonaro divulga nota de repúdio

O presidente Jair Bolsonaro usou o Twitter para prestar solidariedade à profissional e também à apresentadora Renata Vasconcellos, do Jornal Nacional.

" Repudio completamente qualquer ato de violência contra profissionais da imprensa, o que vai na contramão de nossa defesa histórica e irrestrita da liberdade de expressão e de informação, seja a favor ou contra qualquer governo", escreveu o presidente.

"Presto solidariedade às jornalistas Marina Araújo e Renata Vasconcellos, que foram alvos desse atentado covarde e inaceitável", acrescentou Bolsonaro, que ainda pediu que o ocorrido seja resolvido "brevemente e o autor punido com o rigor da lei".


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários