Médica examinando menina
GlobalStock/GettyImages/CreativeCommons
Estudantes dos últimos anos puderam antecipar coleção de grau

Um levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM) feito em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) mostra que o Brasil antecipou a formatura de mais de 5 mil médicos. A medida foi tomada em março com o objetivo de fazer com que os estudantes da área da Saúde nos últimos anos da faculdade pudessem ajudar no combate à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Leia também:
Covid-19: Casos confirmados no mundo passam de 7 milhões, diz OMS
Brasil tem 1.272 mortes e 32 mil casos de Covid-19 em 24h
Pessoas sem sintomas transmitem coronavírus: Entenda a confusão nas falas da OMS

De acordo com esse balanço, a antecipação de formaturas colocou no mercado 5.173 novos médicos. Em março 650 estudantes se formaram, enquanto essas quantidades foram de 3.121 e 1.402 em abril e maio, respectivamente.

A medida foi possível devido a uma portaria do Ministério da Educação (MEC) que permitia a possibilidade de adiantar a colação de grau desses alunos.

"Muitas universidades liberaram alunos que precisavam apenas da apresentação do trabalho de conclusão de curso, tinham realizado cerca de 95% a 98% da grade curricular", diz o primeiro-secretário e diretor de Comunicação do CFM, Hideraldo Cabeça​. "Acredito que isso é um aporte no combate à Covid-19, principalmente em estados com poucos médicos por mil habitantes, como no Acre."

    Veja Também

      Mostrar mais