feminicídio
reprodução
A Polícia Civil prendeu ontem o homem. De acordo com a Delegacia de Homicídios, o autor do crime, que não teve o nome divulgado, foi preso em outro imóvel da família, onde estava escondido

Policiais da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) prenderam em flagrante nesse sábado um homem de 30 anos acusado de feminicídio contra a própria mãe, de 70 anos. O crime e a prisão aconteceram num condomínio à beira-mar na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Leia também 

Segundo informações passadas pelos agentes que participaram da ação, Lucia Regina Gomes Alves foi morta a socos e chutes, em seu apartamento, após discutir com seu filho. O assassino, que não morava com a vítima, foi localizado e detido em outro imóvel da família onde estava escondido. As causas do crime ainda estão sendo apuradas.

O crime chocou moradores do condomínio e das cercanias. Uma moradora do Barrabella In, que mora com seus dois filhos pequenos, contou ter ficado apavorada com a correria no condomínio e com gritos de vizinhos.

"O vizinho do apartamento de cima começou a gritar. Eu perguntei a ele o que estava acontecendo. Ele disse que um homem estava pulando o muro do condomínio. Da janela eu vi a pessoa pulando o muro e tentei registrar com o celular, mas não deu tempo".

E completou: "Moro com duas crianças e fiquei apavorada. Tranquei as portas e fechei as janelas - contou a moradora. - Só não sabemos por quanto tempo ele ficará preso. Isso é lamentável".

Segundo ela, a mãe e o filho chegaram no prédio juntos por volta das 21h. Uma hora e meia depois o crime já tinha sido praticado e o assassino tentava fugir. Outra moradora gravou um áudio e divulgou para que o crime não passe impune.

"Estamos vivendo um momento muito difícil para permanecer calada. Ainda mais depois de saber o que eu acabei de tomar conhecimento. No Barrabella In (um dos primeiros condomínios a serem construídos na Barra da Tijuca, de frente para praia), um filho matou a mãe por volta das 10 horas da noite e tentou fugir pelo Wayer Way, condomínio ao lado. O pessoal viu ele pulando o muro ele já tinha feito o que quis".

Ela afirmou: "O nome dele é Igor. Não mora aqui. Quem morava era a mãe, Lucia Regina. Acho muito importante a gente denunciar ao público essas questões. A gente sempre acredita que essas coisas estão longe da gente e quando acontece perto (ficamos em pânico). Essa revolta se intensifica de forma muito exponencial. Não podemos deixar que esse playboy da Barra saia ileso dessa", disse a mulher.

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que PMs "do 31º BPM (Recreio), foram acionados na madrugada deste domingo (7/6), para uma ocorrência de crime contra a mulher. No local, policiais foram informados pelo porteiro que teria ouvido gritos vindo do apartamento da vítima. Dados os relatos, a equipe foi autorizada a entrar no prédio.

Na presença de uma moradora como testemunha, as equipes arrombaram a porta, encontrando a vítima ensanguentada caída no chão. O SAMU foi acionado e, chegando ao local, atestou o óbito. A Polícia Militar preservou o local até a chegada da Polícia Civil."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários