Bruno Covas reforçou a necessidade de falar sobre racismo no Brasil
Divulgação
Bruno Covas reforçou a necessidade de falar sobre racismo no Brasil

O prefeito Bruno Covas (PSDB) comentou hoje (3) sobre as manifestações antirracistas que estão ocorrendo no Brasil e nos Estados Unidos, inflamadas principalmente após os assassinatos de João Pedro, no Rio de Janeiro e George Floyd, Minneapolis.

Covas reforçou o dever de falar sobre racismo. "Não podemos adiar e colocar para debaixo de tapete esse tema tão fundamental para a nossa sociedade"

Veja também: Mortes por Covid-19 ultrapassam 8,2 mil em São Paulo

"Nossa cidade tem 40% de pretos e pardos na sua população. E pesam sobre eles indicadores socioeconômicos desproporcionais. São reveladores de menores oportunidades e maiores dificuldades. Em todos os indicadores, a desigualdade se revela. A renda média dos brancos é mais do que o dobro dos negros. A expectativa de vida chega a ser de 8 anos a menos nos bairros mais pobres onde grande parte da população negra vive. Os negros e pardos são 57% das vítimas de violência e dos homicídios. Precisamos falar sobre o racismo e aprender sobre isso", declarou.

O prefeito ainda ressaltou que até mesmo os impactos da pandemia são mais fortes na população negra e parda.

"A população preta e parda tem 37,5% mais chance de óbito em São Paulo. Isso acontece por duas razões basicas: eles vivem na periferia, onde a letalidade do virus é maior, e pela prevalência na comunidade negra de comorbidades importantes como a hipertensão e a diabetes", complementou.

Leia mais: São Paulo aguarda mais de 1000 respiradores solicitados ao governo federal

    Veja Também

      Mostrar mais