Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, foi cadastrado e aprovado para receber o auxílio emergencial concedido pelo governo em razão da pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2). O caso veio à tona na última terça-feira (02).

Leia também: Pandemia de Covid-19 está desacelerando em São Paulo, diz secretário

Luciano Hang é dono da Havan%2C rede de loja de departamento
Divulgação
Luciano Hang é dono da Havan, rede de loja de departamento

Nas redes sociais, Luciano Hang negou ter solicitado o auxílio, que prevê pagamento de R$ 600 por três meses para os beneficiários. Conhecido por apoiar Jair Bolsonaro (sem partido), ele alegou ter sido alvo de um ataque de hackers, que usaram seus dados de maneira indevida.

Leia também: Covid-19: No Paraná, 8 pessoas são infectadas após reunião de Dia das Mães

"Como todo brasileiro de bem me sinto lesado com esses atos criminosos, que têm por objetivo apenas prejudicar as vítimas e suas famílias. Os autores devem ser exemplarmente condenados e punidos", diz Hang em nota.

No comunicado, o dono da Havan também afirmou que recebeu "informações de que hakers estão solicitando pedido de auxílio emergencial usando o seu CPF" e que já reportou o crime de fraude à Polícia Federal.

Leia também: São Paulo tem 272 mortes por Covid-19 em um dia e total de óbitos passa de 6 mil

No site da Caixa, o status do suposto pedido de Luciano Hang aparecia às 18h45 da última terça (02) como "em avaliação", mas tinha também informação de que o auxílio havia sido "aprovado e enviado para crédito". Bilionário, o empresário é o sétimo homem mais rico do Brasil As informações são do site O Antagonista .

    Veja Também

      Mostrar mais