decreto tem o brasão do município de cascavel e diz: comunicado importante, a partir da próxima segunda-feira na cidade de cascavel teremos rodízio de pedestres. aqueles que calçam numero par poderão... (e assim termina)
Reprodução
Criador da fake news sobre rodízio em Cascavel imitou decreto oficial, mas documento não é datado


A Prefeitura de Cascavel, cidade do Paraná, precisou usar seu perfil no Facebook para desmentir fake news sobre um suposto rodízio de pessoas organizado por tamanho de sapato. A postagem estava sendo espalhada em redes sociais e simulava um decreto oficial da cidade.

Na postagem de hoje, 21, a prefeitura alerta aos cidadão de que a informação falsa não passa de uma “brincadeira”. A prefeitura também replicou a imagem da postagem falsa em área de seu site oficial específica para checagem de informações.

O “documento” está sem data e explica que a “dinâmica de circulação” de pedestres será feita baseada no tamanho de seus calçados. Se finalizados com número par, só devem sair na rua moradores que calçam número par; se o último número do calçado for ímpar, a pessoa só pode circular em dias ímpares.

A prefeitura de Cascavel desmentiu o boato e ainda reforçou que a população precisa ficar em casa.

Leia também: Pernambuco proíbe circulação de pessoas e intensifica isolamento

"É uma piada, mas não é que tem quem acredita?”, começa a postagem no Facebook. “Não importa o tamanho do seu pé, as únicas coisas que precisa cuidar são: sair de casa apenas se necessário, usando máscara, manter distanciamento e usar álcool em gel”, afirmou.

A postagem continua. “O comunicado sobre o rodízio por numeração de calçados que está circulando nas redes sociais, claro que é fake. Essa foi uma brincadeira leve, mas é preciso ter cuidado. O assunto é sério e alguns fakes induzem pessoas a erro, trazendo riscos à segurança e à saúde pública", finaliza.

O comunicado falso quis simular um rodízio parecido com o que é adotado por carros em São Paulo. O prefeito Bruno Covas chegou a decretar um rodízio diferenciado durante a pandemia do novo coronavírus , mas foi suspenso e retomou para as normas originais .

    Veja Também

      Mostrar mais