Na manhã desta segunda-feira (18), moradores de Paraisópolis, zona sul de São Paulo, realizaram protesto na região do morumbi reinvindicando maior assistência à população da comunidade, conforme adiantado em  reportagem publicada hoje pelo Portal iG.  Perguntado sobre o ato, Doria afirmou negou que falte água e assistência médica e de higiene na comunidade.

Veja também: Moradores de Paraisópolis querem acampar em avenida até serem ouvidos por Doria

"Não é verdade que falte água, alimentos e assistência médica em paraisópolis. Não quero aqui estabelecer confronto com o(os) líderes, mas antecipo que isto não procede. Fizemos a instalação de milhares de caixas d'agua em Paraisópolis, doadas pela sabesp e também a instalação de água corrente em áreas de densidade habitacional, gratuitamente, evidentemente, incluindo fornecimento de sabonete liquido para esta população", disse.

Doria negou falta de assistência à população de Paraisópolis
Governo de São Paulo / Divulgação
Doria negou falta de assistência à população de Paraisópolis

O governador ainda respondeu que priorizou as comunidade, como as de Paraisópolis e Heliópolis, na distribuição das cestas do programa Alimento Solidário.

O prefeito Bruno Covas também se pronunciou. Segundo ele, já foram distribuídas 276 mil cestas de alimentos por parte da prefeitura de São Paulo a comunidades vulneráveis. 

" Já foram distribuídas 276 mil cestas basicas pela prefeitura de São Paulo e deve chegar, nos próximos dias, pelo governo do estado, mais 445 mil cestas", afirmou.  "Em relação específica a Paraisópolis, não é verdade que não distribuimos alimentos. Temos distribuido marmitex para idosos em isolamento e cestas básicas. Agora, tanto a distribuição de marmitex, quanto a distribuição de cestas básicas, não são para os liderados destas lideranças. São para pessoas que estão cadastradas e apontadas pela secretaria municipal de assistência social como as pessoas em maior situação de vulnerabilidade", complementou.

    Veja Também

      Mostrar mais