Em coletiva nesta sexta-feira (15) no Palácio dos Bandeirantes, João Doria (PSDB) fez duras críticas ao presidente Bolsonaro (sem partido). O governador criticou o atraso no pagamento do auxílio emergencial que, segundo ele, foi motivado por "retaliação aos governadores estaduais" e lamentou a nova troca no ministério da saúde. "Teich demonstrava compromisso com a ciência. Deixa o cargo pela desordenação do governo Bolsonaro", afirmou.

João Dória novamente teceu críticas ao presidente Bolsonaro
Agência Brasil
João Dória novamente teceu críticas ao presidente Bolsonaro

O governador citou alguns ministros sabotados pelo chefe do executivo e mandou recado: "Governe, administre seu país com equilíbrio. Pare com agressões, pare com conflitos, pare de colocar o país dentro de um caldeirão interminável de brigas e atritos. O país, para vencer a pandemia, precisa estar unido e em paz."

Veja também: "Parece brincadeira": Políticos comentam demissão de Teich

Auxílio emergencial

Sobre o atraso no pagamento do auxílio, Doria afirmou que o presidente demonstra descaso com os 14 mil mortos no brasil em razão da Covid-19 e disse que o presidente está mais preocupado em retaliar os governadores do que atender à população.

"O gesto demonstra, mais uma vez, a insensibilidade, a intolerância e a incapacidade do presidente Jair Bolsonaro em compreender a dimensão do cargo que ocupa. O presidente Bolsonaro mistura os canais e pensa que governar o Brasil é administrar a sua família", disparou Doria.

Leia também: Mortes por Covid-19 em São Paulo chegam a 4,5 mil

"Presidente Bolsonaro, lembre que, até o presente momento, 14 mil brasileiros perderam suas vidas [...] Não estamos em uma brincadeira, em um campeonato de jet ski, em uma competição de tiro ao alvo, não estamos fazendo churrasco no jardim do Alvorada. Estamos enfrentando uma gravíssima crise de saúde, de vida e economia", complementou.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários