Bruno Covas
Roberto Casimiro/Fotoarena/Agência O Globo
Bruno Covas

Em coletiva de imprensa para atualizações sobre o Covid-19 em São Paulo, o prefeito Bruno Covas denunciou ataques e ameaças virtuais que, segundo ele, recebe desde o anúncio de que o rodízio de veículos ficaria mais rígido na cidade de São Paulo como forma de incentivar o distanciamento social.

"Desde ontem à noite, por conta da decretação do rodízio, passsei a receber uma série de ameaças, agressões, intimidações de milicianos virtuais, mensagens de whatsapp indecorosas e queria aqui dizer: não vamos retroceder nem um milímetro. Não vamos nos deixar intimidar. A prefeitura segue no caminho do bem, no caminho da defesa da vida", disse.

Leia mais: São Paulo prorroga medidas de distanciamento social até 31 de maio

O prefeito também destacou a importância do isolamento e agradeceu aos cidadãos que pernamencem em casa como forma de amenizar os efeitos da pandemia do novo coronavírus, que já fez mais de 3,4 vítimas fatais no estado. "Serão dias difíceis nas próximas semanas, vamos nos manter firmes no nosso propósito de salvar vidas", disse.

Entenda o rodízio

Na quinta-feira (7), o prefeito Bruno Covas anunciou, como medida de enfrentamento à pandemia, os veículos com placa com número final par poderão circular apenas nos dias do mês pares e os com final ímpar, nos dias ímpares. Ao contrário do rodízio normal, a restrição vale também para os fins de semana e durante todo o dia, não apenas nos horários de pico, como no sistema que já existia. A mudança entra em vigor na próxima segunda-feira (11).

Covas justificou a medida com o número crescente de mortes e novos casos de covid-19 que vêm sendo registrados nos últimos dias. Segundo o prefeito, a ocupação dos leitos das unidades de tratamento intensivo do município já passa de 80% e, em alguns hospitais, ultrapassa os 90%.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários