Ministro da Saúde, Nelson Teich fez previsão pessimista sobre o Rio de Janeiro
Júlio Nascimento/PR
Ministro da Saúde, Nelson Teich fez previsão pessimista sobre o Rio de Janeiro

Na semana em que o Rio de Janeiro mergulhou em um verdadeiro caos por causa da pandemia do Covid-19, o ministro Nelson Teich, substituto de Luiz Henrique Mandetta no comando da pasta da Saúde, fez uma previsão bastante pessimista: em entrevista ao blog do jornalista Lauro Jardim, afirmou que a "pior fase" da doença deve acontecer nos próximos dez dias.

Leia também: 'Há lealdades maiores do que as pessoais', diz Moro no Twitter

Ainda de acordo com a publicação, a equipe de Teich estima que este será o período para que o sistema de saúde carioca comece a apresentar sinais de colapso devido ao número de pacientes, contágios e mortes causados pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).

A taxa de ocupação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na rede publica da cidade já é de 93%. Nas enfermarias, apenas 9% dos leitos estão disponíveis. A abertura de 100 leitos no  hospital de campanha do Riocentro ampliou o atendimento do município que, pela primeira vez nos últimos 15 dias, teve taxa de ocupação menor que 90% e atende com 84% da capacidade. Ao todo, 272 pacientes aguardam na fila por atendimento em UTI nas unidades municipais.

Em toda a rede pública do Rio , que inclui as unidades municipais, estaduais e federais, são 1254 pacientes internados com suspeita de covid, sendo 376 em UTI. A fila de pacientes a espera de uma UTI no estado chegou a 369 neste sábado.

Você viu?

Leia também: "Moro não era ministro, era espião", dispara Eduardo Bolsonaro em postagem

Só na rede municipal, há 486 pessoas internadas com suspeita de infecção, das quais 139 em UTI . Segundo a secretaria municipal de Saúde, há pacientes internados em leitos exclusivos e também em unidades de emergência, em locais reservados para atender casos do Covid-19 .

No estado , a taxa de ocupação em leitos de UTI chegou a 84% e de enfermaria 74%. Apenas o Hospital de Campanha do Leblon, que tem 54 pacientes, dos quais 42 em UTI, e o Hospital Regional Zilda Arns, em Volta Redonda, ainda ofertam vagas  em todo território fluminense.

Leia também: Covid-19: Mortes no Brasil chegam a 6,7 mil; casos confirmados são 96 mil


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários